segunda-feira, 26 de março de 2012

No mundo dos estranhos só tem seres humanos


Estranho cuidado de ser, justamente porque “ser” não é para si. Então somos estranhos, bobos, burros, querendo alcançar uma coerência entre o que acredita e o que quer que o outro veja – porque sempre se quer.
- Ei, isso que você está vendo de mim é algo inconscientemente, cuidadosamente o que eu sou pra você e é de coração! Até que o primeiro desentendimento, óbvio, desnorteia. Então já decidi, não vou ser porra nenhuma e nem quero que sejam pra mim. Acho a maior prova de amor: não ser nada.

Um comentário:

  1. não ser nada é o jeito mais verdadeiro, tudo que se cria destrói-se.

    ResponderExcluir